segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Viva o Natal e Nada Mais: Capítulo final | Perdeu, Herbert!

||
Saudações, pinguins!
No episódio passado, Hullo se infiltrou na Base do Iceberg para espionar Herbert e fingir ser um elfo. Porém, acabou chamando a atenção do vilão ao tomar um susto, que seus amigos deram nele. O que será que Herbert vai fazer com Hullo?



Comece lendo o episódio final clicando no botão abaixo.





Quando cheguei na Base do Iceberg, encontrei Herbert. Ele estava com um presente fechado na mesa e Klutzy estava festejando. Klutzy era idêntico ao elfo que nós tínhamos visto no começo. E à direita deles, havia a fantasia de Noel que estava jogada no chão. Logo, a diretora da Ilha estava certa ao dizer que P. Bear era o Noel. E cheguei a conclusão de que o iceberg voador, nada mais era que a base do Herbert. 

Eu havia chegado lá em silêncio. Vestido de elfo, e totalmente fofo. Mas acabei me assustando. Meus amigos também estavam lá! E quando eles me tocaram, eu levei um susto tão grande, mas tão grande, que eu gritei alto!

Herbert me viu, e também se assustou! Eu estou frito!

- AAAAAAAAAAAAAAAAAAH! - gritou Herbert, espantado. Um controle que estava na mão dele acabou caindo. Klutzy, como bom ajudante, acabou pegando. - O que pinguins irritantes fazem em minha base? - perguntou Herbert.
- Senhor! Estamos aqui a procura do Noel! - exclamou Viena. 
- Jura? - perguntou Herbert, surpreso. Ele rapidamente começou a se vestir de Noel e disse: - Hohoho! E eu estou aqui! - acha que nós somos idiotas....

Nós dissemos que queríamos ser seus elfos, e ele aceitou a tarefa. Conversei com Tia Arctic pelo microfone. E ouvi também algumas coordenadas dela. 

- Herbert P. Bear. Ele acha que vocês são totalmente ingênuos. Não passem a perna na gente. Sigam todos os planos do Herbert. Finjam que estão realmente a procura do cargo de elfo. - mandou Arctic.
- Entendido. - eu falei.

Herbert logo nos chamou para visitar um dos quartos dele dentro da Base. Achava que a base era pequena... Quando chegamos lá, ouvimos gritos de socorro. Mas Herbert havia dito que era apenas a televisão que estava ligada em um programa de Halloween fora de época. Ok, então. 

Nem lembrávamos do Pinguim Noel. A base era encantadora por dentro, viajava qualquer um que entrasse lá. Mas, quando entramos no corredor da base, ouvimos ainda mais alto os gritos de socorro. E estava vindo de uma porta dourada. Clara acabou abrindo a porta e voilà. Achamos o Pinguim Noel! Ele estava bem abatido, triste e desesperançoso. 

- Finalmente me acharam! Vocês vão fazer mal à mim? - perguntou.
- Imagina! Viemos aqui te salvar. E salvar o nosso fim de ano, também. - disse Marcuss. 

Porém, quando começamos a soltar as correntes dos braços de Noel, Herbert havia chegado no corredor. Precisávamos sair rápido dali, antes que ele nos veja!

- Eu prometo que a gente volta mais tarde pra te soltar. Mas por enquanto, fique aqui. Considere-se salvo. - disse Clara. Encontramos uma saída de ar e foi por ali que saímos. Fomos parar na parte de fora da Base. Mas pro nosso azar, o KLUTZY VIU TUDO!

A primeira coisa que pensamos foi: ferrou-se. Klutzy contará para Herbert e assim estaremos fritos. Porém, Klutzy nos ajudou. Calma aí que explico tudinho. 

- Onde estavam? Procurei vocês por toda a base! - disse Herbert.
- Estávamos limpando o porão. Lá é lindo. - eu falei. Ainda bem que sei pensar rápido em desculpas esfarrapadas. 
- Preciso que vocês não sumam assim de novo. - disse Herbert. - Venha comigo, Klutzy. E vocês também. Tenho uma engenhoca para mostrar para vocês. - terminou. 
Ele nos levou novamente para o porão de lá, porém, sem passar pela sala em que o Noel está preso. Dentro do porão havia um grande mapa de toda a Ilha do Club Penguin. 
- Esta ilha é toda minha! - Herbert afirmava com toda certeza. 
- Errado! Essa ilha é dos pinguins. - disse Marcuss.
- Que pinguins o quê. Esse tipo de gente chegou bem depois. Eu conheço aqui muito mais do que qualquer um pinguim. E já andei por terras nunca exploradas por eles!
- Por exemplo? - perguntou Viena
- Uma linda floresta com várias criaturas fantásticas e fáceis de manusear... Enfim, não é o caso agora. O que eu quero mostrar para vocês, é ainda mais magnífico. - Herbert abriu o mapa e mostrou um grande X vermelho na Central da Ilha. Quando ele mostrou isso, logo fiquei esperto e liguei o microfone, captando o áudio do ambiente. - Joguei presentes-bomba na Ilha inteira. Agora, o próximo passo é destruir todas as construções da Central da Ilha! - e a Tia estava ouvindo tudo pelo microfone.
- Certo. É melhor adiar as reconstruções Rory. Herbert quer destruir-nos novamente. Precisamos de um plano resistente dessa vez. Literalmente. - disse Tia pelo objeto escutador 3000. 
Continuei ouvindo Herbert, e o plano dele era utilizar agora um Raio Desconstrutor. Esse raio é capaz de destruir duas construções em apenas 1 minuto! Não se sabe ainda o porquê que Herbert quer destruir a nossa ilha. Acho que ele ficou bravo por não conseguir destruir antes no começo do fim de ano... 
Herbert então entregou 5 pacotes de presente para nós entregarmos para os pinguins. Fomos então a Central da Ilha, porém, sabíamos que lá tinha bombas. O que fizemos? Jogamos todos os presentes no mar e corremos para falar com Arctic.

- E aí? O que farão? - eu perguntei.
- Gary está providenciando com a ajuda de Rookie, algum objeto que consiga destruir o raio de Herbert antes mesmo de ativado. Mas não temos certeza quanto à datas. Pode ser que demore pelo menos 1 semana. - Tia falou.
- Impossível! Herbert quer nos destruir ainda amanhã, dia 24, na véspera natalina. - disse Viena.
- Precisaremos destruir Herbert novamente antes mesmo dele começar a executar seu plano. - eu falei.
- Nós poderíamos congelar ele dentro da base. Klutzy, poderia nos ajudar. Ele é bem maleável. - disse Tia.
- Mas e o Pinguim Noel? Ele ainda está lá. - eu disse.
- Aliás, vocês o encontraram? - perguntou Tia. Respondemos positivamente. 
- Soltamos o Noel primeiro. Logo depois, congelamos a base. O objeto congelador 3000 já existe desde tempos antigos e iremos reutilizá-lo. - disse Arctic. 

Voltamos então para a base do Herbert, e lá ele estava se preparando novamente para fazer uma visita na Ilha. 

- Aquele falso elfo chegou para tentar pegar o meu lugar! - disse.
- Quem? Aquele lá que organizou aquela fila enorme na Central? - eu perguntei.
- Ele mesmo. Ele vai tirar todo meu público! 
- Iremos dar um jeito nele, se quiser. - propôs Viena.
- Ótimo. - Herbert aceitou. 

Fomos até a Central novamente, conversar com o elfo. Porém, não havíamos percebido que estávamos sendo perseguidos. Herbert realmente não confiou na gente e mandou que Klutzy nos seguisse COM UMA CÂMERA. Quando chegamos lá, vimos Klutzy quando estávamos entregando todas as provas à Tia (Sim, nem fomos conversar com o elfo). Klutzy então saiu correndo em direção à base, para entregar todas as fotos tiradas para Herbert. Saímos correndo também, mas quando chegamos lá, Herbert já tinha visto as fotos.

- Vocês me traíram! Todo esse momento, estavam entregando meus planos para aqueles pinguins insolentes! Vocês 4 são assim como eles! - Herbert gritou de fúria. Como castigo, ficamos presos no mesmo lugar que o Pinguim Noel estava. - Eu iria atacar aquela ilhazinha apenas no dia do natal! Mas hoje mesmo, dia 25, pela culpa de vocês, eu vou atacar agora! - terminou.

Mas para minha sorte, preso dentro daquele porão escuro, eu ainda estava com o microfone e aquele objeto. 

Eu então, poderia salvar a vida de todos ali, apenas conversando com Tia Arctic.

Rapidamente acionei o objeto e comecei a pedir ajuda bem baixinho para a Tia.

- Ok, estamos mandando agentes secretos para a área. - disse Tia. Cara do Foguete, Pinguim Dançante e outros agentes vieram para nos salvar.

- Parado, Herbert! - disse o Pinguim Dançante. Herbert o congelou, sem dó e piedade em uma grande escultura de gelo.

Enquanto eles se enfrentavam, Viena teve uma excelente ideia! Tia Arctic entregou ao Viena uma espécie de telefone secreto, que tem tudo que um agente precisa, até mesmo um pente!

Viena pegou uma faca disponível no telefone e cortou as cordas que nos prendia. Logo, ele conseguiu soltar a gente e também o Pinguim Noel!

Corremos rápido até a Central da Ilha. Havia grandes máquinas lá. Clara estava com uma Pizza na mão, e quando Klutzy viu isso, saiu correndo na direção dela. Marcuss viu um botão da máquina, que poderia desativá-la. Porém, ela estava do lado do Herbert.

- Clara! Joga a pizza naquele botãozão ali! - disse Marcuss. A ideia era que Kluzty quando fosse pegar a pizza, acabasse clicando no botão. 
- Eu não vou perder meu almoço para isso! - disse.
- Ah, qual é! - quando Marcuss falou isso, ela jogou. Kluzty acabou destruindo a máquina. Do nada, as bombas que estavam sendo jogadas na Central foram desativadas. 

Foi uma festa! Menos para o Herbert.

- Klutzy! Da próxima vez, fique longe das minhas coisas. Eu posso até ir embora, mas eu volto! 

- Que não volte até o fim das nossas festas de fim de ano. - disse Arctic. Herbert pegou seu grande iceberg voador e foi embora. - Apesar de não derrotarmos Herbert, conseguimos fazer com que ele fique quieto pelo menos até o fim das festividades. Parabéns! - disse Tia.

Continuamos normalmente as festas de fim de ano, agora com o verdadeiro Pinguim Noel entregando os presentes.

- Como agradecimento, por salvarem o velhinho aqui, vocês saíram da minha lista negra. Vejam à direita e parabéns pelos presentes. - disse Noel.

Ficamos muito felizes! Ah, e Rookie conseguiu realizar seus pedidos malucos de uma nova ilha e até mesmo ganhar um outro universo... boatos rolam dizendo que o universo alternativo do Rookie se chama Club Penguin.... que nem o nosso! Que louco!

Foi um final feliz. Agora, esperamos os fogos de artifício para comemorar a virada do ano. U-huuu! 
_______________________________________________________________________________


FIM


Nenhum comentário:

Postar um comentário